VOLTAR

BASIC ENGLISH

 

Basic English, Inglês Básico, é uma linguagem controlada, isto é, uma linguagem com um vocabulário restrito, inicialmente, a 850 palavras. Neste significado, o Basic English, foi criado por Charles Key Ogden. Seu objetivo é funcionar como uma linguagem internacional auxiliar, bem como uma forma de ensinar Inglês como língua estrangeira para falantes de outras línguas.

Com o tempo, o Basic English influenciou a criação de outras linguagens controladas, como o Inglês Especial da Voz da América. O Special English da Voz da América tem um vocabulário maior, e além disso apresenta reportagens semanais sobre os mais variados assuntos, faladas de uma forma mais lenta, e muito bonita, para quem está começando a ficar mais adiantado no Inglês. Veremos, nesta página, um link para a Voz da América, bem como um dicionário do Special English para brasileiros.

 

Mas podemos considerar que o Basic English é o primeiro patamar para quem quer aprender Inglês, porque com este número reduzido de palavras (e mais algumas, dependendo se é a Bíblia ou um livro de Ciências), o aluno pode ler com mais facilidade, sem ter que estar o tempo todo consultando o dicionário, e acabando por desanimar. Basta dizer que a Bíblia foi toda ela traduzida para o Basic English.

 

Um dos princípios básicos de Ogden foi eliminar do vocabulário os verbos com significados iguais ou próximos. E para substituir verbos com signifcados mais complexos, ele fez uso dos 600 substantivos do vocabulário, de modo a dizer a mesma coisa que um verbo diz.

Por exemplo, ao invés de “translate”, “traduzir”, ele diria “put in other words”, “colocar em outras palavras”. E com isso ele se limitava a usar as 850 palavras, para dizer tudo o que fosse necessário. Bastava a criatividade na forma de criar uma expressão que dissesse a mesma coisa.

É verdade que não são exatamente 850 palavras. É preciso introduzir algumas desde o início, praticamente. Por exemplo “ela”, “she”, não está no vocabulário inicial...

 

Mas com um pequeno aumento no número de palavras, já podemos ler a Bíblia inteira, o que é entusiasmante! Mesmo que a pessoa não seja religiosa, a Bíblia é um monumento da nossa cultura, importante para o conhecimento da nossa tradição ocidental. Mesmo no Oriente Médio, com todos os conflitos entre muçulmanos e judeus, há este elo comum, que não devemos desprezar.

 

Porém, nesta página, vamos procurar abranger todas as grandes culturas, sem nos restringir à cultura ocidental.

 

Apesar de toda a inventividade usada na criação do Basic English, ele foi muito criticado. Podemos dizer, basicamente..., que os críticos não entenderam que este é um primeiro passo, muito bem construído, na aprendizagem do Inglês, e não um substituto do Inglês tal como é falado normalmente.

Então os críticos comparavam a beleza da tradução da Bíblia de King James, por exemplo, com a Bíblia do Basic English, como se fosse necessário escolher entre uma ou a outra, e como se para o aluno iniciante, a Bíblia do Basic English não fosse extremamente mais acessível, o que é a intenção principal.

 

Por outro lado, muitos escritores importantes, de renome bem maior que os críticos, se interessaram pelo Basic English. George Bernard Shaw ofereceu a sua herança a Ogden, com a condição de que Ogden defendesse mudanças na escrita e na fonética do Inglês, o que Ogden não pode aceitar.

 

H. G Wells, o maior escritor de ficção científica  escreveu um grande livro, The Shape of Things to Come, onde o Basic English é a língua básica de comunicação entre os vários idiomas. Este livro é um livro extremamente inteligente, preocupado com o futuro da nossa cultura. Wells estava prevendo a Segunda Guerra Mundial, e escreveu o livro como um apelo à paz. O livro não é tão brilhante como outros de Wells, mas mostra uma inteligência invejável, e um interesse pelo nosso futuro na terra digno do maior respeito. Baseado neste livro foi feito um filme, Things to Come. Tempos Por Vir, que comentaremos na seção de Ficção Científica. Outros escritores mais recentes também usaram o Basic English como inspiração em algumas histórias, como veremos na seção especial desta página destinada à ficção científica.

 

Há muitos livros escritos ou traduzidos para o Basic English, e esta página também criará seus próprios textos, de modo a diversificar o máximo possível o leque de escolhas que o leitor poderá fazer, para experimentar seus primeiros passos.

 

Deixando a questão dos primeiros passos para uma outra parte, encerramos aqui nossa introdução ao Basic Englsih.